Home > Polícia > SDS cria projeto para instalar câmeras de reconhecimento de criminosos e veículos roubados

SDS cria projeto para instalar câmeras de reconhecimento de criminosos e veículos roubados

Um projeto da Secretaria de Defesa Social (SDS-PE) está sendo construído para a instalação de câmeras de reconhecimento facial de criminosos procurados pela polícia, além de identificar veículos furtados ou roubados. O objetivo principal é colocar os equipamentos em pontos móveis, como viaturas, para ajudar no combate à criminalidade em todo o estado. A previsão é de que as câmeras estejam funcionando no primeiro semestre do próximo ano em todas as regiões de Pernambuco.

A ideia é colocar nas ruas viaturas equipadas com as câmeras de última geração e com capacidade de reconhecimento, em uma proposta semelhante à adotada pela Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), no Recife, para a fiscalização da Zona Azul Digital na capital pernambucana. Desde o ano passado, uma viatura de apoio equipada com câmeras na parte superior do veículo é utilizada exclusivamente para inspeção do serviço. Os equipamentos têm tecnologia de reconhecimento óptico de caracteres e são capazes de fazer a leitura das placas dos carros estacionados nas áreas de Zona Azul. As câmeras são usadas para verificar se os veículos estão, ou não, utilizando cartões válidos.

A gerente geral de Programas e Projetos Especiais da SDS, Patrícia Beguiristain, ressaltou que o objetivo será usar a tecnologia como aliada do setor de segurança no estado. “A busca da SDS é por fomentar na sociedade a sensação de segurança, mas não apenas a sensação. O nosso objetivo é efetivamente melhorar a segurança, entregando uma ferramenta adequada. Isso vai auxiliar a Polícia Militar nas rondas ostensivas e também ajudar a polícia investigativa – Polícia Civil – a elucidar crimes. Será uma ferramenta a mais, e muito poderosa, para o estado”, afirmou.

Ainda em fase inicial, o projeto básico foi concluído e lançado para buscar adesão do mercado. “Não sabemos se o mercado vai conseguir absorver as ideias que temos. Fizemos o projeto desenhando as necessidades da SDS e apresentamos ao mercado. Vamos saber o que as empresas têm a oferecer para customizarmos os serviços”, explicou. Uma chamada pública para que cientistas e empresas conheçam o projeto básico foi publicada no Diário Oficial do estado nessa quarta-feira (16). O processo licitatório, com valores ainda indefinidos, deve ser lançado até o fim deste ano.

Além dos equipamentos de reconhecimento móveis, também serão utilizadas câmeras fixas em pontos estratégicos. “O videomonitoramento já é muito usado e difundido pelo mundo, mas estamos customizando esse projeto para necessidades específicas da SDS e às nossas condições administrativas. A câmera é um instrumento poderoso, que afasta a criminalidade nos locais onde estão instaladas. Por isso, queremos embarcar os equipamentos nas viaturas, para termos uma mobilidade maior e chegarmos a locais onde ainda não estamos”, esclareceu.

“O projeto é inovador no país, por isso, é fundamental a colaboração de prestadores do serviço na oferta de equipamentos e softwares que atendam às necessidades do estado”, destacou a SDS. Empresas brasileiras e estrangeiras interessadas já podem solicitar esclarecimentos, pelo e-mail vias.publicas@sds.pe.gov.br, à Comissão Especial instituída pela SDS. Esse prazo termina no dia 1º de outubro. Até o dia 9 de outubro, devem ser enviadas propostas de custo pela oferta do serviço.

Histórico


Por questões de segurança, a SDS não informa a quantidade de câmeras existentes no estado. “Podemos te dizer, no entanto, que, hoje, possuímos videomonitoramento na RMR, Caruaru e Petrolina. Com o novo projeto, teremos centrais nas Áreas Integradas de Segurança (AIS) de Santa Cruz do Capibaribe, Garanhuns, Arcoverde, Serra Talhada, Salgueiro e Araripina”, informou a secretaria.
Em 2007, começaram a ser instaladas as primeiras câmeras de videomonitoramento integradas a uma central coordenada pela Secretaria de Defesa Social. Em 2015, foi inaugurada a atual sede do Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciods).
FONTE: Diário de Pernambuco

Sobre Wagner Oleiro

Radialista desde 93 trabalhou nas principais AMs e FMs do Recife. Começou na carreira logo cedo acompanhando seu pai Cláudio Monfrin que também é radialista (aposentado) nos programas que apresentava. Mas foi como sonoplasta que Wagner Oleiro começou sua carreira aos 16 anos de idade e foi com 19 anos que ele se profissionalisou como radialista na função de locutor, apresentador e animador. Em 2013 ele avança na comunicação indo trabalhar como repórter num canal de televisão no Mato Grosso. Atualmente Wagner Oleiro apresenta uma programação jornalistica nas manhãs da Rádio MAIS FM 104,7 e exerce a função de jornalista nesse portal.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Lava Jato denuncia Lula por lavagem de R$ 4 milhões em instituto

A força-tarefa da Operação Lava Jato apresentou nesta segunda-feira (14) uma nova denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da ...

Pular para a barra de ferramentas